Pesquisar este blog

quinta-feira, 10 de agosto de 2017

Constelação Estrutural - Systemic Structural (SySt)

Em Agosto de 2017 ocorreu na cidade do Rio de Janeiro o primeiro treinamento voltado às Constelações Estruturais e Linguagem Transverbal oferecido pelo Instituto SySt® com a docente alemã Elisabeth Ferrari.

 

Constelação Estrutural em Organizações e Negócios com ênfase em Liderança e Desenvolvimento de Equipes. Decifrando a Linguagem Transverbal com Elisabeth Ferrari.

Elisabeth Ferrari é nascida na Alemanha e mestre em Matemática, Economia e Ciências da Informação. É formada pelo Instituto SySt® e em consultoria organizacional sistêmica pelo Neuwaldegg Consulting Group em Viena.

O curso contou com a organização de Tilia Stingl com parceria do Espaço Conexão Sistêmica.




“As Constelações Estruturais foram desenvolvidas meados dos anos 90 na Alemanha por Matthias Varga von Kibéd e Insa Sparrer, que fundaram o instituto SySt® de pesquisas e treinamentos sistêmicos em Munique. Esse método tem se desenvolvido paralelamente ao trabalho de constelação familiar - até agora mais conhecido entre os que usufruem de métodos sistêmicos.

A constelação estrutural trabalha estruturas comuns a situações diversas que, uma vez claramente percebidas, permitem uma abordagem dos desafios em questão mais profunda e focada em soluções.
.
Analisar estruturas e padrões da realidade na qual vivemos é um modo muito efetivo de expor soluções, como o algoritmo do Google prova milhões de vezes
ao dia. O trabalho do SySt proporcionou a descoberta de uma linguagem que todos nós temos em comum, a chamada linguagem transverbal. A gramática dessa linguagem, quando reconhecida, nos possibilita ver novas perspectivas e desenvolver soluções inovadoras e eficazes para diversas situações desafiadoras. Ela nos proporciona antecipar o futuro testando posições” ( via: http://tiliastingl.com )

O treinamento disponibilizou algumas das ferramentas, esquemas, formatos e filosofia aplicados pelo Instituto SySt.

Entre outros temas o conteúdo apresentado neste treinamento estão: A linguagem Transverbal e sua gramática; Estruturas SySt e ferramentas para soluções inovadoras e decisões; Constelação para problemas e Tetralema; Trabalhando valores - Constelação da polarização de crenças; Aplicando o SySt em processos de Coaching e Workshops; Miniaturas SySt para trabalho individual e em equipes; Ferramentas para desenvolvimento de equipe e liderança; Princípios básicos sistêmicos; Constelações Prototípicas; Exercícios práticos.


Segue o vídeo de um treinamento ocorrido em 2014 na Alemanha:
Elisabeth Ferrari - Grenzen öffnen



Elizabeth Ferrari: Ultrapassar Limites 
(Tradução livre para o português por René Schubert) - Vídeo em alemão 

Tradução em Português:

"Bem vindos ao workshop dos limites - ultrapassar limites, reconhecer limites, e verificar o que fazemos com limites? Delimitar na verdade foi temática principal de Peters Berger neste ano, eu tomei isto para mim para olhar, o que significa sob a palavra limite? E se falamos de delimitar, o que será que envolve isto? Isto tudo tem a ver com o consulting de negócios que faço junto com o instituto do SySt®, aqui quem conhece o trabalho do SySt®?

SySt® fica em Munique. Foi fundado por Matthias Vargas von Kibed e Insa Sparrer - e um instituto para formação e estudo sistêmico e pesquisa. Trabalho muito nos estudos e pesquisas continuas no pensamento sistêmico e do saber sistêmico...e nisto surgiram muitos princípios, formatos e esquemas que possibilitaram trabalhar com o assim chamado "não saber".

Ou seja, qualquer que seja seu tema, seu problema, seu conflito, em organizações ou com coachies, como podemos trabalhar bem com vocês sem necessariamente entrar em muitos detalhes ou entrar no problema, conflito?

Um ponto difícil nisto é a linguagem. Se ocupar com a tema da linguagem. A linguagem que ocorre por trás. Vocês que se ocupam com o tema da PNL e talvez conheçam esta frase: O mapa não é território - isto entra na temática do idioma. Entender o idioma como mapa. Como modelagem. Nos modelamos com o idioma, modelos da verdade. Ai vem a pergunta até onde como formamos mapas de verdade razoáveis? O quer que seja razoável como modelo em todo caso. Este é um grande tema com o qual a PNL se ocupa. Neste sentido volta para Alfred Korzybski ele seria o pai da PNL, mas não é mais reconhecido de tal forma. Mas ele seria o responsável por este trecho citado ( O mapa não é território). Aqui no SySt® tentamos sempre resgatar a fonte das citações. Para poder também beber destas fontes.

E ai já estamos na temática dos limites. Cada mapa com o qual trabalhamos, cada mapa tem limites. Cada Mapa estabelece métricas. Símbolos. Esta faz uma comparação reducionista. Nenhum mapa pode mostrar a realidade exatamente como é. Pois teria que ter o tamanho da realidade. Se você pega um mapa de trilhas, por exemplo, você não tem um mapa de trilhas que mostra os gramados, ou que demarca os besouros que há no caminho... não dá para fazer isto...quero dizer cada mapa tem recursos reduzidos (Merkmal Verkürzung = Recursos/símbolos reduzidos). E já que o mapa tem recursos reduzidos nossa linguagem, idioma também os tem, tem limites desta maneira. Existe assim uma suspeita, do ponto de vista teórico, sistemicamente, do pensamento filosófico, “só podemos pensar aquilo que podemos dizer / expressar” – e se só podemos pensar aquilo que podemos dizer significa que nosso mapa nos impõe limites, no sentido de limites no pensamento – do que pensamos – por exemplo, quando eu digo: Eu tenho um problema! Bem...onde este esta? Eu posso dizer eu tenho um Cachecol. E se não quero mais, eu o tiro e o guardo. E onde é o problema? Em minha bolsa não é, isto eu garanto. Onde está? Está perto de mim? Onde eu o tenho? Quando na língua eu digo, eu tenho um problema, posso pensar quando eu o encontro, onde o escondi, talvez eu possa pegar ele e guardar fora, como fiz com o Cachecol. Talvez quando eu o encontre possa o retirar e guardar...sabemos porém que isto é um engano. Nossa língua porém sugere tal. 

Uma outra forma de dizer seria falar: Eu me encontro numa situação problema!

Eu me encontro em uma situação que descrevo como problema!

E a pergunta seria, como eu sairia desta situação de problema? 

Não é mais como me livrar do problema, mas sim, como sair da situação problema.

E como sair da situação problema, estamos em uma das primeiras ferramentas desenvolvidas pelo instituto SySt®, a Constelação do problema. Como eu saio significa: algo nesta situação não me agrada e gostaria de mudar. Agora eu tenho um alvo (objetivo). Digo: Quero ir nesta direção. Mas se estou neste problema e lá esta meu objetivo, porque simplesmente eu não vou para lá? Eu poderia sair daqui e seguir para lá. De alguma forma existe neste ponto um obstáculo."

Maiores informações:
SySt®: https://syst.info/
Elisabeth Ferrari: http://www.ferrari-beratung.com/

domingo, 6 de agosto de 2017

O outro sou eu - Bert Hellinger





"O outro sou eu. Ele é o outro para mim apenas enquanto não o percebo e reconheço como parte minha, pois, em princípio, nada no mundo pode estar fora de mim. Tudo me afeta de alguma maneira e, mesmo à distância, me influencia. Inversamente, também eu, pelo meu ser, pertenço ao outro, à plenitude de sua existência.

Enquanto o outro permanecer estranho para mim e eu o mantiver à distância, desconfiar dele, temê-lo ou quiser distanciar-me dele, permanecerei menos, menor, estreito, fechado, mais pobre.

A aceitação do outro é a aceitação da plenitude. Ela me pressiona no sentido da abertura, do que é maior, de outro amor, da amplidão, da modéstia, de um aprendizado sempre renovado. Ela une. Nela eu me encontro com minha plenitude, com a felicidade plena, com a entrega que me sustenta e na qual sou acolhido. Apenas nela sou totalmente humano."

Bert Hellinger

quarta-feira, 26 de julho de 2017

Formação em Campinas/SP

Formação nas Novas Constelações em Campinas/SP - Cristina Florentino


29 e 30 de setembro de 2017 - Módulo 7 - Psicopatologia e Constelação Familiar - Facilitador René Schubert

Conteúdo programático:
  • Breve introdução à psicologia e psicanálise da infância
  • O conceito de normalidade e psicopatologia a partir da Psicologia
  • A Morte dentro do sistema familiar / O luto e seus movimentos / Melancolia e Depressão
  • Assassinos e famílias Assassinas / O Suicídio dentro da Família / Maldições
  • A presença de uma criança especial em casa / A psicose e suas consequências sobre o sistema familiar
  • Abortos / Catástrofes ou guerras / Tráfico / O ambiente das Drogas e os reflexos da drogadicção dentro da família
  • Pedofilia / Abuso sexual Infantil / Agressão e Violência Familiar

Bibliografia indicada para este módulo:

 Para inscrição e informações:

quinta-feira, 6 de julho de 2017

Atendimento Individual - Dra. Ursula Franke-Bryson



Treinamento Internacional Avançado no Pensamento e nas Constelações Sistêmicas:familiares, organizacionais e educacionais
23 a 15 /06 – Tema: Atendimento individual
Facilitadora: Dra Ursula Franke-Bryson (Alemanha)



Síntese elaborada a partir das anotações feitas por René Schubert do treinamento conduzido pela Dra. Ursula Franke Bryson com organização do Espaço Conexão Sistêmica.

Dra. Ursula conta que logo no começo de seu aprendizado junto a Bert Hellinger o mesmo disse algo que lhe trouxe muito alivio em relação à sua pratica de psicoterapeuta e a demanda trazida pelos clientes: “Eu não preciso resolver nada”. Como facilitador damos um impulso, quem somos nós para mudar o cliente? O cliente sai muito satisfeito quando tem acesso a uma informação, dado novo de sua historia, sistema, biografia. Olhamos para as estruturas e verificamos se há como mudar peças chaves na mesma.

Dra. Ursula menciona as ferramentas e recursos que julga fundamentais para este trabalho no consultório com Constelações Individuais em seu desenvolvimento no passar dos anos: O genograma; O estado de presença; A consciência dos estados de gota, mar e oceano ( Eu e o Sistema); A leitura e percepção do que o cliente traz em seu corpo, as manifestações corporais (Transe familiar, Trauma e o estado de Presença); as imagens internas e imaginação do cliente – caminhar junto com ele e com o que se mostra.



Reflexões copiadas da fala de Dra. Ursula Franke Bryson durante o treinamento:

"Tudo o que nós fazemos no presente atua e pode ser acessado por toda linha ancestral. Nos atuamos neles. Eles atuam em nós"


"A Pátria, terra onde nascemos, é um recurso enorme. De onde o cliente veio? O que motivou a saída? Quantos ficaram para trás e como ficaram? Quantos e como partiram? Dos que partiram quantos ficaram pelo caminho? Qual era e qual é a comunicação troca antes e hoje com a pátria dos antepassados e com a terra que os acolheu e nutriu"


“Com o recurso do Genograma vêm as informações junto com as emoções relacionadas a cada pessoa, vinculo, história...”


"O Genograma como recurso rápido para alcançar camadas profundas do sistema de nosso cliente"


"O Genograma como recurso para visualizar o sistema e estrutura familiar do cliente e quais associações este processo traz" 


"Tudo o que o cliente fala e faz, na verdade, é a melhor forma de proceder. É ele quem traz o campo..."


"O que é adequado, o que é necessário agora? Sim? Não? A capacidade de diferenciar é um dom!"


“Não coloco regras para os processos no Consultório. Pergunto ao cliente. Verifico, valido junto ao cliente. Não sei se funcionou ou “deu certo”, o cliente é quem saberá disto com o passar do tempo” 

Dra. Ursula traz uma imagem da cultura africana: "os mortos só podem passar para o lado de lá por meio do Rio de Lagrimas."

Reflexão de Thomas Bryson: "Agora que eles estão mortos eles tem todo tempo do mundo..."




Dra.Ursula inicia o ultimo dia do treinamento falando dos movimentos primário e secundário:

Primário; natural, espontâneo e autentico.  Direção à vida e ação. Criança nasce como expressão à vida, ao sim. A expressão física muitas vezes é movimento primário.
Secundário; padronizado, duro, repetitivo. Negação a algo, reação. Substituição de um por outro.

Qual movimento é meu e qual é dos outros. Estados gota, onda e oceano. Quem sou eu e o que eu quero? O que eu quero e o que o sistema quer?

O que acontece nos 5 primeiros anos de vida da criança muitas vezes definirá as estruturas que o cliente posteriormente, como adulto irá levar à terapia.

Não há estado ideal. Não há pai e mãe ideal. O importante é o estado de presença dos pais e a postura destes quando em contato com a criança.

A criança precisa receber dos pais para sobreviver. O toque ajuda ao seus sistema imunológico, lhe dá contorno e envolvimento, desenvolvendo seu Ser. Para se proterager a criança muitas vezes recorre ao Não, ao afastamento, a retração, a substituição, aonde verificamos a ação dos movimentos secundários. O movimento secundário na terapia é uma resistência ao sim, uma resistência à aceitação à sua vida.

Exemplo: A pessoa fala da morte da mãe e começa a rir enquanto relata. Tal movimento secundário é protetivo, mas demonstra sua inadequação, dissintonia. A pessoa não consegue liberar os afetos da perda. Elaborar o luto.

A consulta é a possibilidade de o cliente chegar as emoções primarias. Tudo aquilo que se repete é padrão. O antigo, a coisa velha, são emoções secundárias. A questão que colocamos ao cliente que está em movimento secundário: Como você sente isto em seu corpo? O que acontece no seu corpo se você se afasta? Qual o lugar bom? Qual a sensação quando esta muito perto? Que movimento é necessário?

A família é o recurso do cliente, mas muitas vezes precisamos verificar em qual tempo e lugar. Nem sempre os pais são recurso, por vezes temos que evocar a figura dos avôs ou mesmo bisavôs.

O que aparece na Constelação Familiar não é necessariamente a verdade. Mas tal atua no espaço interno do cliente, então é importante. A lealdade do cliente é com o seu sistema, não como você, terapeuta. Sabemos muito pouco e isto não é necessariamente a verdade. As Constelações familiares “possivelmente” mostram algo.



O sintoma é um indicador: Olhe ai!

A pessoa evoca/externaliza imagens internas, fazendo uso de ferramentas como papel, bonecos, ancoras de solo, representantes...nós seguimos no consultório a trabalhar com a imaginação do cliente. Tal é possível para quase todo mundo. Quando o cliente é muito reativo geralmente e utilizam recursos concretos – como os bonecos. E, claro, somos responsáveis pelo que evocamos em nosso cliente. Levamos ele a um estado, talvez ao transe familiar, a uma forte reação emocional. Mas é importante que o facilitador saiba trazê-lo de volta. De volta, consciente, presente e apto para seguir. Como o cliente chegou, como ele saiu?

Nós, terapeutas, não sabemos, é o cliente que sabe o que acontece, da efetividade do que tocou e o que lhe toca. Vamos descobrir isto junto com ele durante o processo de Constelação Familiar.

Reflexão René Schubert a partir do que Dra. Ursula mencionou sobre os segredos e o que está oculto no sistema familiar: "Quem procura acha"...e quando não...Talvez não seja a hora ou nem seja para procurar...As coisas são como são e assim é!

Sempre verificar com o cliente quais recursos ele dispõe e quais ele precisa – Há alguém que possa em seu sistema, representar este recurso? Onde vamos achar recursos na nossa vida ou no nosso sistema? Bem, estamos vivos, vale a pergunta, de onde vem esta força que nos mantém vivos?



A abordagem sistêmica é muito mais ampla que a própria ferramenta utilizada.

Colocação de Glaucia Paiva: As vezes no procedimento de Constelação Familiar, pouco tempo depois os clientes relatam surgir, como que ao acaso, fotos, noticias, informações envolvendo pessoas e fatos trabalhados durante o procedimento de Constelação Familiar. E a pergunta é como estas pessoas, situações que não sabiam da constelação familiar entram nesta ressonância e por que? A resposta é: porque agora tem alguém para ouvir.
Quando um cliente não tem um problema nos não criamos um para ele. 

Todas as estruturas que manifestamos (problemas com colegas de trabalho, dificuldades com nossos superiores, conflitos com nossos amigos e relacionamentos) provêm de nosso sistema originário, da nossa família.


Espaço Conexão Sistêmica - Email: contato@conexaosistemica.com.br | Tel: (11) 50558258 | http://www.conexaosistemica.com.br/