Pesquisar este blog

segunda-feira, 18 de julho de 2011

Constelações Organizacionais - Consultoria Empresarial Sistêmica




Este livro apresenta uma forma totalmente nova de aconselhamento organizacional e empresarial. Os autores transferem o método sistêmico fenomenológico de Bert Hellinger (criador de uma nova abordagem da Psicoterapia Sistêmica) do contexto da terapia familiar para o âmbito do aconselhamento empresarial e organizacional.
O aconselhamento organizacional sistêmico-dinâmico é apresentado pela primeira vez na teoria e na prática levando em conta:
  • As reflexões conceituais básicas.
  • As resultantes técnicas de intervenção.
  • O aprofundamento da compreensão das dinâmicas relevantes nas organizações e empresas.
Como o trabalho de Hellinger foi desenvolvido especialmente com sistemas familiares, foi necessário adaptar esse princípio às condições específicas em empresas, organizações e instituições. Klaus Grochowiak desenvolveu muito bem essa transferência e este livro oferece um guia para a atuação nesse campo e a realização autônoma de constelações empresariais e organizacionais.

Constelações Organizacionais destina-se às pessoas que querem informações sobre essa nova técnica de consultoria.

Ao final da obra há uma entrevista inédita com Bert Hellinger abordando exclusivamente a temática das Constelações Organizacionais e Consultoria Empresarial!

domingo, 17 de julho de 2011

Quando Fecho os Olhos, vejo você


O Trabalho com Constelação Familiar em contexto de Consultório - Consultas Individuais

Ursula Franke mostra neste livro como o método do trabalho sistêmico pode ser também aplicado com sucesso na terapia e no aconselhamento individual. De forma exemplar ela conecta o conhecimento teórico com casos interessantes e claros de seu consultório. As descrições vivas e ricas em detalhes evidenciam os processos que influenciam o pensamento e as decisões do terapeuta ou conselheiro durante a constelação. Este livro bem estruturado e compreensível transmite aos terapeutas, conselheiros, clientes e interessados em terapia uma ampla visão e múltiplas sugestões para o procedimento orientado para a solução no trabalho terapêutico individual. Também possibilita integrar esse método no cotidiano do consultório aos especialistas que desejam utilizar a abordagem de Hellinger também nas sessões individuais. Além disso, apóia a preparação para o trabalho de constelações em grupos.

"Um livro bonito e útil que tem sido esperado por mim e muitos outros há muito tempo."
Bert Hellinger

sexta-feira, 15 de julho de 2011

Constelação Familiar caminhar com o Espirito





"Das Geistige Familienstellen - Ein Überblick" - Dieses Buch vermittelt einen Überblick über das Familien-Stellen und seine neueste Entwicklung: Das geistige Familien-Stellen. Diese Weiterentwicklung ging einher mit neuen Einsichten über unsere Seele und unseren Geist, vor allem aber über neue Einsichten über die Grenzen unseres Gewissens. Es hat sich herausgestellt, dass diese Einsichten in allen unseren Beziehungen gelten, weit über uns persönlich und über unsere Familie hinaus. In diesem Buch werden sie übersichtlich zusammengefasst.

"A Constelação Familiar com o Espirito  - um olhar"
- novo livro de Bert Hellinger demonstrando as novas descobertas e viezes das Constelações Familiares - a diferenciação entre o caminhar com a alma e caminhar com o espirito!

Disponivel para compra no site de Bert Hellinger: - http://www.hellinger.com/s​hop/products/de/Buecher/De​utsch/Das-Geistige-Familie​nstellen-Ein-Ueberblick.ht​ml

quinta-feira, 14 de julho de 2011

Crescimento Interno



"O crescimento interno se realiza quando se dá espaço para algo novo. Esse algo novo é, na maioria das vezes, algo que se negou antes, por exemplo, a própria sombra. Ou algo pelo qual se lastima, por exemplo, uma culpa pessoal.

Se olho para aquilo que neguei e digo: “Sim, agora tomo você em minha alma”, então cresço. Não é que agora seja inocente, mas cresço. Os inocentes não conseguem crescer. Continuam sempre do mesmo jeito. Continuam sempre sendo crianças."

Bert Hellinger ( Ordens da Ajuda)

quarta-feira, 13 de julho de 2011

Workshop Constelação Familiar e Organizacional com René Schubert





6 vagas para Constelar - 12 vagas para Representar
Local: Rua Comendador Quirino Teixeira, 212 - Zona Norte - São Paulo
Inscrição: (11) 9779-1208 ou constelacaofamiliar@hotmail.de

Ordens da Ajuda



Nesta obra Bert Hellinger descreve as "ordens da ajuda" básicas e suas respectivas "desordens". A clareza e profundidade das descrições aqui apresentadas e os relatos de cursos de treinamento onde Hellinger ilustra a aplicação prática dessas ordens, nos tocam.

Um livro obrigatório para todos aqueles que se interessam pelo tema "ajuda": médicos, psicólogos, assistentes sociais, terapeutas, advogados, juízes, etc.


Trecho extraido da obra:


A arte da ajuda

Reconhecer quando a ajuda é possível e adequada e quando se deve recolher desse trabalho é uma arte. Ajudar por simples compaixão, muitos conseguem fazer isso, na verdade, todos nós. Contudo, ajudar de uma forma que esteja em sintonia com os outros e com seu destino e sua alma e que com isso ele possa e deva crescer, isso é arte.

Quando se exige ajuda, via de regra, não se deve ajudar, a não ser que se trate de um acidente grave ou algo semelhante. Quem exige ajuda se comporta como uma criança, e o ajudante precisa nesse momento se comportar como se fosse mãe ou pai. Ambos começam, então, uma assim denominada relação terapêutica de transferência e de contratransferência. E isso está sempre fadado ao fracasso.

Se alguém fizer também uma diferenciação entre o bom e o mau, não conseguirá mais ajudar. Logo que tomamos essa decisão, excluímos alguém. Nós nos posicionamos contra aquele que consideramos mau. Mas a ajuda real para todos somente é possível quando todos têm um lugar em nosso coração, quando reconhecemos que todos têm o mesmo direito de existir e que cada um está emaranhado a seu modo, mesmo se fôssemos descrevê-los talvez como mau, assim como nós também talvez estejamos emaranhados no bom e pensamos que isso seja bom. Entretanto, o resultado nos mostra que aquilo que consideramos bom, na maioria das vezes, não é tão bom.

  • A primeira ordem da ajuda
A primeira ordem da ajuda consiste em dar apenas o que se tem e somente esperar e tomar o que se necessita.
  • A segunda ordem da ajuda
A segunda ordem da ajuda é nos submetermos às circunstâncias e somente interferir e apoiar à medida que elas o permitirem.

O arquétipo da ajuda

O arquétipo da ajuda é a relação entre pais e filhos, principalmente, entre a mãe e o filho. Os pais, os filhos tomam. Na relação entre pais e filhos as expectativas dos filhos e a prontidão dos pais para atendê-las são necessárias e, por isso, estão em ordem.
Entretanto, estão em ordem enquanto os filhos ainda são pequenos. Com o avançar da idade, os pais vão colocando limites aos filhos, com os quais estes podem entrar em atrito e dessa forma, amadurecendo. Justamente porque os pais se retraem e desiludem essas expectativas, ajudam seus filhos a se libertarem dessa dependência e, passo a passo, a agirem por própria responsabilidade. Somente assim os filhos tomam o seu lugar no mundo dos adultos e se transformam de tomadores e doadores.

  • A terceira ordem da ajuda
A terceira ordem da ajuda seria que o ajudante também se colocasse como adulto perante um adulto que procura ajuda. Com isso, ele recusaria as tentativas do cliente de forçá-lo a fazer o papel de seus pais.

  • A quarta ordem da ajuda
O indivíduo é parte de uma família. Somente quando o ajudante o percebe como parte de sua família é que ele percebe de quem o cliente precisa e a quem ele talvez deva algo.
Isso significa que a empatia do ajudante deve ser menos pessoal, mas, sobretudo, sistêmica. Ele não se envolve num relacionamento pessoal com o cliente. Essa é a quarta ordem da ajuda.

  • A quinta ordem da ajuda
A quinta ordem da ajuda é o amor a cada um como ele é, por mais que ele seja diferente de mim. Quem realmente ajuda, não julga.

A ordem

A ordem é equilibrada. Algumas vezes as metas e as circunstâncias mudam e então a ordem muda também. Ela precisa entrar em um novo equilíbrio.E a ajuda ocorre segundo uma ordem.
Faz parte de um todo maior os pais do cliente, sua família, sua origem e seu destino especial, que resulta do sistema a que ele pertence. 

Quando reconheço, coloco isso em ordem, mas servindo, por assim dizer, a partir de uma posição inferior. Na verdade, esta é a posição correta do ajudante. 


quinta-feira, 7 de julho de 2011

Liberdade

Nossa liberdade está em busca de algo. Quando encontra isto, atinge o seu objetivo e cessa, pois o que lhe resta buscar, se atingiu sua meta ?

Há, tambem uma liberdade sem busca. Em vez de aproximar-se, ela se afasta de algo. Como jamais atinge a meta, ela tambem nunca cessa.

Quando persegue um objetivo, nossa liberdade esta a seu serviço e tem força. Em contraposição, quando só pretende fugir de algo, nossa liberdade permanece vazia, estranhamente vazia. Como carece de direcionamento e de dedicação, torna-se fraca e pobre.

Em nossas viagens interiores, permanecemos livres num sentido positivo. Temos uma direçao mesmo que a nossa meta, por ser a derradeira, permaneça amplamente oculta. Todavia, seu caráter oculto, não a torna totalmente vazia, pois este vazio é pleno.

Mesmo antes de chegarmos, a propria direção já nos torna plenos, tão plenos que ai cessa a nossa liberdade: seja qual for a distancia a que cheguemos, nada vai alem deste caminho.

Onde mais a liberdade cessa? No momento, em que estamos completamente nele. Quem permanece no momento é capturado pelo momento. Costumamos imaginar a liberdade como desvinculada do instante. Com isto, ela se esvazia, pois apenas o momento é pleno, mais ainda: no momento, já estamos na meta.


Bert Hellinger ( Viagens Interiores )

sexta-feira, 1 de julho de 2011

Bert Hellinger - Breve Biografia



Anton "Suitbert" Hellinger (Leimen, 16 de Dezembro de 1925), conhecido como Bert Hellinger.

Bert Hellinger é nascido em 1925, na Alemanha, e formou-se em Filosofia, Teologia e Pedagogia. Como membro de uma ordem de missionários católicos, estudou, viveu e trabalhou durante 16 anos no sul da África, dirigindo várias escolas de nível superior. Posteriormente, aprofundou seus estudos e pesquisas tornando-se psicanalista e, por meio da dinâmica de Grupos, da Terapia Primal, da Análise Transacional, de diversos métodos hipnoterapêuticos e demais técnicas desenvolveu sua própria Terapia Sistêmica e Familiar a qual denominou: Familienaufstellen (respectivamente: “Colocação do Familiar”, traduzido para: Constelações Familiares, no Brasil).
 
Bert Hellinger afirma que os seus pais e a sua infância foram a principal influência no seu trabalho atual. A particular forma de fé praticada no seio da sua família terá imunizado os seus membros para não acreditarem nas ideias distorcidas do nacional-socialismo. Devido às repetidas ausências de Bert Hellinger às reuniões da “juventude hitleriana” e à sua participação numa organização ilegal de jovens católicos, terá sido classificado pela Gestapo como “suspeito de ser inimigo do povo”. Quis o destino que Bert Hellinger viesse a escapar da Gestapo, ao ter sido mobilizado. Com apenas 17 anos de idade tornou-se soldado, vivenciou as realidades do combate militar, da prisão, da derrota e da vida num campo de prisioneiros de guerra dos aliados, na Bélgica.
 
A segunda maior influência foi certamente o seu desejo de infância de se tornar padre. Com 20 anos de idade entrou numa ordem religiosa católica e iniciou o longo processo de purificação do corpo, da mente e do espírito, em regime de silêncio, estudo, contemplação e meditação. Foi para a África do Sul, onde permaneceu por 16 anos, como missionário junto do povo Zulu – uma experiência que teve um profundo efeito no seu trabalho ulterior. Neste país foi, em simultâneo, diretor de uma grande escola, professor e pároco. Com o tempo foi-se sentindo em casa entre os Zulus, tanto quanto a um Europeu isso é possível. O processo de abandono de uma cultura para viver noutra moldou a sua consciência acerca da relatividade de muitos valores culturais.
 
A participação de Hellinger numa formação inter-racial e ecumênica sobre dinâmica de grupos, conduzida por clérigos anglicanos, constitui-se como uma experiência de extrema influência. Teve a oportunidade de contactar com uma forma de trabalhar com grupos que valorizava o diálogo, a fenomenologia e a experiência humana individual.
  A sua decisão de deixar a ordem religiosa após 25 anos surgiu da compreensão de que ser padre tinha deixado de ser a expressão mais apropriada ao seu crescimento interior.
 
A psicanálise e a psicoterapia foram as grandes influências que se seguiram. Várias escolas terapêuticas deixaram uma marca na sua forma de trabalhar, somando-se à orientação fenomenológica/dialógica da dinâmica de grupos aprendida dos anglicanos, à compreensão da necessidade fundamental dos seres humanos de se alinharem com as forças da natureza, que havia aprendido com os Zulus na África do Sul, à psicanálise que aprendeu em Viena e ao trabalho corporal aprendido na América.

 

A constelação familiar se baseia no uso de representantes neutros para representar membros da família ou grupo social do cliente e trabalhar um tema específico trazido por este último.

Bert Hellinger descobriu que há 3 leis (ou necessidades) que atuam na família: hierarquia (estabelecida pela ordem de chegada), pertencimento (estabelecido pelo vínculo), equilíbrio (estabelecido pelo dar e tomar/receber). Quando tais leis são violadas numa família, surgem compensações que atuam em outros membros da mesma (muitas vezes em membros que sequer haviam nascido quando o problema aconteceu). Graças à representação, o cliente pode perceber para onde olha o seu amor e como tais leis podem ser novamente respeitadas. Então ele pode, talvez, enxergar o próximo passo que o conduza de uma maneira mais leve na vida, solucionando a questão que o incomoda.

Os desenvolvimentos de seu trabalho tem amplas implicações para o âmbito da psicoterapia, aconselhamento de casais, pedagogia, consultoria de empresas, dramaturgia, política e solução de conflitos sociais.


Bert Hellinger escreveu mais de 64 livros, traduzidos em mais de 25 línguas. O seu trabalho está documentado em numerosos CDs e DVDs.

Bibliografia

 

As obras que já estão traduzidas para o português abordando a temática das constelações familiares podem ser encontradas pela Editora Cultrix ou Editora Atman. As primeiras publicações foram feitas pela Ed. Cultrix, posteriormente os profissionais Decio e Wilma & Peter e Tsuyuko Spelter fundaram a editora voltada exclusivamente para temas relacionados às Constelações Sistemicas Familiares, a Editora Atman.

A Paz Começa na Alma pela Editora Atman
Amor a Segunda Vista pela Editora Atman

A Fonte Não Precisa Perguntar pelo Caminho pela Editora Atman 
Liberados Somos Concluídos pela Editora Atman
Essencial É Simples pela Editora Atman
Ordens da Ajuda pela Editora Atman

Pensamentos a Caminho pela Editora Atman
Um Lugar para os Excluídos pela Editora Atman

Pensamentos sobre Deus pela Editora Atman
O Amor do Espírito pela Editora Atman
A Cura pela Editora Atman 
As Igrejas e seu Deus pela Editora Atman
Olhar para a alma das crianças pela Editora Atman

A Simetria Oculta do Amor pela Editora Cultrix
Conflito e paz: uma resposta pela Editora Cultrix
Desatando os laços do destino pela Editora Cultrix
 

No centro sentimos leveza pela Editora Cultrix
Ordens do amor pela Editora Cultrix
Para que o Amor de Certo pela Editora Cultrix
 

Religião, Psicoterapia e Aconselhamento Espiritual pela Editora Cultrix

Links de referência:


http://www.atmaneditora.com.br/
 
http://www.institutohellinger.com.br/principal/index.php
http://www.spelter.com.br/
http://aconstelacaofamiliar.blogspot.com/


Home page oficial: http://www2.hellinger.com/en/home/